Levantar Requisitos e Mapear os Processos

Levantar corretamente os requisitos é umas das partes mais importantes no desenvolvimento de um sistema. Envolve o que o cliente precisa, as regras do negócio e o mapeamento de processos.

O levantamento de requisitos é uma das partes mais importantes do processo que resultará no desenvolvimento de um sistema. Entender aquilo que o cliente deseja ou o que o cliente acredita que precisa e as regras do negócio ou processos do negócio. Isso é o cerne que move essa importante função que faz parte da engenharia de requisitos.Aliado ao levantamento de requisitos, existe o mapeamento dos processos que é de vital importância para a melhoria dos resultados obtidos pelo levantamento de requisitos.

Muitos sistemas são retardados em seu prazo estipulado na fase de definição do escopo do projeto ou até mesmo morrem durante seu percurso, pois a etapa de levantamento de requisitos é negligenciada ou simplesmente feita de forma ineficaz.

Existe também um personagem, que é constantemente deixado em segundo plano no mapeamento de processos, o especialista do domínio ou especialista do negócio.

O especialista do negócio é aquele profissional que possui experiência no ramo ou nicho de mercado do negócio para qual o sistema atenderá em suas funcionalidades. Um sistema de vendas, por exemplo, pode contar com um especialista do negócio que seja gerente de vendas, que já tenha sido vendedor com anos de experiência.

Algumas fábricas de software procuram analistas de sistemas que sejam especialistas no ramo de negócio do sistema que vão desenvolver. Mas esbarram em um sério problema – a dificuldade de encontrar esses profissionais, que são difíceis de encontrar.

Outra forma é usar um profissional do próprio contratante do sistema a ser desenvolvido, mas isso pode deixar à vista do cliente os problemas que ocorrem em todo o projeto. Por isso as fábricas driblam esse fato, procurando analistas de sistemas que possuam conhecimentos genéricos de negócios, bom relacionamento com equipe de trabalho e experiência em coordenar ou gerenciar projetos.

Sério? Sério!

E por quê? Porque esse profissional que vai lidar com programadores e também com especialistas de negócio que não possuem conhecimento de sistemas. Gerenciar tudo isto junto é muito, muito importante e requer habilidades especiais de gestão de negócios.

Então levantar requisitos não é função solitária? Ao contrário de que alguns acreditam, não. E a vivência em gerência de projetos é cada vez mais exigida.

Um estudo baseado em 6.700 sistemas desenvolvidos em 1997 (fonte: Jones, Carpen – 1997, Applied Software Measurement) demonstrou que os custos resultantes da má realização da etapa de levantamento de requisitos podem levar os sistemas a custar duzentas vezes mais que o necessário.

Imagine a qualidade desses sistemas? Custo alto não quer dizer qualidade.

Para desenvolver sistemas profissionais e de qualidade, precisamos levantar os requisitos de forma eficaz e com seriedade. É necessário ter bons profissionais em diversas áreas no ciclo de desenvolvimento (como analistas de requisitos, analistas de processos, analistas de testes, gerentes de projetos, programadores e analistas de qualidade) de acordo com a necessidade específica de cada projeto.

Claro que sua empresa poderá reaproveitar seus profissionais para atuar em várias etapas ou funções durante o projeto, mas com critério. Sua empresa não pode colocar o programador como analista de testes, pois dificilmente ele será imparcial na hora de avaliar a própria criação. O mesmo acontece com outras funções.

Outro fato importante é o mapeamento prévio de processos. Particularmente não acredito em um bom levantamento de requisitos desacompanhado de um mapeamento de processos. Já tive a oportunidade de ver na prática sistemas desenvolvidos sobre processos inadequados, onde o analista de requisitos considerou processos com base em entrevista com o funcionário que executava de forma inadequada um processo.

Acredito seriamente na importância do levantamento de processos, mapeamento e melhoria dos processos de negócios.

Autor: Ricardo Veríssimo

Fonte: www.webinsider.uol.com.br